link rel=alternate type=application/rss+xml title=RSS-Feed href=http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=10type=100 /

Login

Informe seu login e senha para acessar a área restrita:

Login:
Senha:
 
Data: 05.03.2018 16:47
Categoria: CEF

Dirigentes sindicais debatem Saúde Caixa na Apcef


A Associação de Pessoal da Caixa Econômica Federal (Apcef/SP) realizou no último dia 27 de fevereiro, em São Paulo, reunião sobre o Saúde Caixa, com a participação de integrantes do Conselho de Usuários, do Grupo de Trabalho (GT) Saúde Caixa e da Comissão Executiva dos Empregados (CEE). Os diretores do Sindicato Lilian Minchin (suplente no Conselho de Usuários) e Carlos Augusto/Pipoca (diretor da Apcef e integrante da CEE) participaram da reunião.

Para o médico Albucacis de Castro Pereira, gestor na área de saúde e consultor da Fenae, o modelo de custeio adotado em 2004 pelo plano de autogestão dos empregados da Caixa, continua perfeitamente viável e sustentável. “O modelo 70/30 é viável, as projeções apresentadas estão estáveis e nada precisa ser mudado neste aspecto”, afirma o médico.

Resoluções e estatuto - As recentes resoluções da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e Administração de Participações Societárias da União (CGPAR) e a alteração no estatuto da Caixa Federal são medidas que desconstroem a política de custeio da assistência médica dos trabalhadores.

O Saúde Caixa, por ser um plano de autogestão, é um sistema de assistência coletiva com objetivo social. Ao atender exclusivamente os empregados e seus dependentes, ativos e aposentados, reúne todas as condições para melhor entender a demanda dos usuários e desenvolver programas de promoção à saúde

Para o advogado Paulo Roberto Alves da Silva, assessor da Fenae, mesmo que os dispositivos da nova legislação trabalhista (lei nº 13.467) retirem direitos, existe o debate do direito adquirido, que é citado na resolução, e abre precedentes para serem discutidos. “Neste momento não é possível fazer afirmações, sob o aspecto jurídico, de como se definirá a questão do direito adquirido. Acredito que será na luta com mobilização dos empregados da ativa e aposentados que será possível sensibilizar a Caixa à uma resposta”, reforça o advogado.

“Existe uma força muito grande por de traz disso tudo, que são as pessoas. Os empregados da Caixa devem estar dispostos a se mobilizar, lutar e defender o Saúde Caixa, especialmente na Campanha Nacional deste ano”, destaca o diretor do Sindicato e da Apcef Carlos Augusto.

Fonte: Apcef SP


Imprimir       Enviar por email

Comentários

Sem comentários


Adicionar comentário

* - campo obrigatório

*




Imagem CAPTCHA para prevenção de SPAM
Se você não conseguir ler a palavra, clique aqui.
*
*